Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.3/5 (447 votos)


ONLINE
2




Partilhe este Site...

18:27:25


Deleite em musica e poesia
Deleite em musica e poesia

Deleite em musica e poesia








Sonêto ao sentimento
 
 E se fosse real e não um sonho
Se pudesse te tocar e amar inteiro
Entre mim e ti amor verdadeiro
Escondido nos versos componho
 
 E sei que é tão certo o sentimento
ou fantasia feito de encantamento
distante estrela lá no firmamento
E quão suave como o próprio vento.
 
Deixemos que a vida assim persista
Um dia a mais ou menos que insista
Na nossa verdade a qual eu resisto.
 
 O que há de ser será,se tudo tem resposta
 Não se nega ao amor a dádiva imposta
Pois um amor real ,já é por si bendito!

Alma Gort






















Ao meu amor

Deixarei então que a madrugada fale
Escuto em silêncio onde me espelho
Beijo teu rosto e afagando teu cabelo
Provo o sabor antes que a noite acabe.

Intensos de uma aurora que adentra
Num vasto solo de meu pensamento
Adorno com versos o meu momento
Numa doce emoção que me esquenta.

Sòmente  para ti momento e coração
Que mais importa se é verdade ou não
Importante é a ilusão que alimento.

Se a vida é apenas sonhos e nada mais
Se perde ou se ganha jogo de um jamais
são  bem reais as ilusões alguns momentos.









 

<




Pecados

Pecados cartas d`algum baralho
Se os traçasse a meio ao coringa
Daria um Ás de copa ou colombina Girando uma dança em contra-baixo

Pecados inconfessos são paixões
Onde os susurros de amor se calam Atravessando o peito se acasalam Numa orgia insensata de ilusões

Desejos que invade o pensamento
Em qualquer lugar em momentos
Onde nossas razões ficam de lado

Delitos malogrados sem prudência Navegamos na nau da penitência Jurando nao mais pecar o tal pecado

Alma Gort








O ouro das lágrimas


Desfazendo o sofrimento em lágrimas
Como suave cascata salgada cristalina
Quantas vezes em desespero estimas
Entre as divisas da alma suas lástimas.

 Quem poderá subverter teu intento
Se os presságios da alma tu espreitas
Entre amores fracassados te enfeitas
Em romances que findam e lamentos.

Nas vidas em desespero ou instintos
Vertendo em dores ou risos famintos
Nas tormentas de encantadas rimas.

Haveria sentido acaso doutra emoção
És um rio de ouro enchendo o coração
O milagre triste duma face em lágrimas.

. Alma Gort



















                 Momentos íntimos

             

                 Desejos apaixonados em tormentas
                  momentos iludos em quase indecência
                  Na embriaguês do amor e tolas crenças
                  Entregue a lassidão de suas penas.

                  Mas o amor em mim é quase idolatria
                  É uma chama fugaz encandescente
                  Um não acreditar de um quase crente
                  ou idílio entre realidade e a fantasia.

                  Pois afinal é a emoção que encanta
                  No grito de amor que preso na garganta
                  Traz sempre a ânsia de amor vencido.

                 Mesmo assim vou seguindo a estrada
                 Para encontrar meu tudo ou meu nada
                 Em algum parnaso de algum céu perdido.
Alma Gort















Uma saudade

Hoje bateu em mim uma saudade
Não sei de quem também não sei o tempo
Uma nostálgica dor qual um tormento
Sem saber defini-la na verdade.

Eu queria não sentir tal sentimento
Sei que estou perdendo os momentos
Distante na delonga deste fado.
No curso  da saudade que relato

Em mim o mundo azul esta cinzento
E todo este amor color tá pardacento
Nublado por uma lágrima dolorosa.

A falta do meu tudo a mim juntar-se
A tristeza  do mau fado a afundar-se
No poço de um desejo sem resposta.
Alma Gort











Em algum tempo

Eu que pensei ainda haver um tempo
Eu que debrucei meu pensamento
Debaixo dos coqueirais da tua praia
Foram apagados no perdido intento.

Fugiste enfim te fostes infelizmente
Ficando eu assim tão só em sonho nu
Desfizestes sem ação meu sonho azul
Como se nada valesse... inutilmente.

Agora  que fiquei aqui no prejuizo
Pois construi um castelo sem o piso
Num chão de areia com maré subindo.

Nem sei o que falar não tem enredo
Nem caso nem história só o  desejo
Na alma o sonho sonhado que foi lindo.
Alma Gort






Meu silêncio

 

 

 É algo  quieto tão calado  aqui

  Que em cada minuto de silêncio
 
Meu todo sente um torpor intenso
 Num êxtase do silêncio em mim.
 Momentos que reflito o que penso
Cada segundo medito o meu porvir
No silêncio  eu vivo o que há de vir
 No fado do meu silêncio pretenso.
 Meu silêncio solto livre além e aqui
Cada vez que calo e penso fico assim
 A mente refaz recria ou dá um fim.
 Sei que meu silêncio é algo sagrado
 Pois na hora em que mudo não falo
 Eu grito o imenso amor que há em mim.


 

Alma Gort